ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Você está aqui: Capa » ARQUIVO » MARTINUS VAN BEECK

MARTINUS VAN BEECK

Martinus

“Nasci na Holanda, na cidade de Eindhoven, berço da Philips, mais conhecida no Brasil por seu clube de futebol, PSV, onde jogaram Ronaldo e Romário. Moro no Brasil desde 1968, o ano que não acabou… Mesmo nascido numa terra chata, ou melhor, plana, sempre me senti atraído pelas montanhas. A primeira vez que vi uma, aos 18 anos, no sul da França, não resisti: cheguei ao cume dela: “Le Denteille de Montmiraille”. O calor era grande e a vista era linda.

A minha entrada no CEB se deu em novembro de 1996 e me curou de uma depressão, conseqüência da saída de um emprego de 20 anos. O número de amigos que eu havia perdido recuperei logo em dobro, em triplo, em déciplo… Me tornei caminhante assíduo e depois de alguns anos e de uma conversa com a Simone Leão (na descida do Alcobaça, em outubro de 1999) fui convidado para participar de um curso de guia. Me formei em janeiro 2002.

Caminhar é estar vivo, subir montanha é desfazer-se do cotidiano, cume é êxtase. Guiar é compartilhar, guiar é levar amigos a prazeres e lugares desconhecidos.

Alguns momentos inesquecíveis: a primeira subida ao Corcovado, em junho 1997, quando conheci o Berardi, os Dedinhos de Deus, em setembro 2000, quando passei a conhecer o Almir, o Pico de Eco (abril 2001) e uma excursão à Cara do Cão e São João, descendo pela Passagem da Neblina (outubro 2002), quando Antônio Dias mostrou para mim quem é, uma subida às Agulhas Negras com uma turma de 40, numa excursão que organizei junto com Sinézio e Antônio, em setembro 2002, uma exploração com Mauro no Parque da Pedra Branca no dia do nascimento do Pedro, meu primeiro neto, em São Paulo, aonde cheguei ainda a tempo, levando no corpo os carrapatos…, o Pico Grande de Magé no dia 28 dezembro 2003, a melhor de muitas ralações com Berardi, as numerosas travessias Alto – Jacarepaguá, com meu eterno parceiro Horácio, a expedição Patagônia, com Menudo e Simone em 2008/2009 e acima de tudo o momento mais emocionante: o cume do Dedo de Deus, em 31 de maio de 1993, com Wally.

O maior desafio? O que estou enfrentando agora: organizar a excursão para Bolívia e Peru com mais de 30 participantes. Estou me sentindo mais um agente de viagem do que guia de caminhada…

Meu sonho: chegar a janeiro de 2012, com 200 caminhadas guiadas, no meio de 200 amigos…”

Jul/2011

Os comentários estão fechados.